Comunicação empresarial na era digital: você está preparado?

 In Temas em comunicação

A comunicação empresarial é relativamente nova no Brasil. Somente em meados da década de 1970 começaram a se desenhar os departamentos de comunicação organizacional, com foco no relacionamento com stakeholders. De lá para cá, parece que séculos se passaram, pois fomos rapidamente dos house organs para a comunicação empresarial na era digital.

Sites, blogs, redes sociais, plataformas interativas e comunicação omnichannel são assuntos que fazem parte do dia a dia do profissional da área. Se antes um boletim interno levava um mês para ser confeccionado e se mantinha atual, hoje uma informação que você deixa de passar no exato momento em que a recebe se torna obsoleta em questão de horas.

É preciso agilizar as coisas, isso é certo. Mas também é necessário que façamos uma comunicação íntegra, de qualidade, que utilize todo o potencial da Internet para compartilhar conhecimentos e experiências. Você está preparado para isso?

Comunicação massiva X comunicação personalizada

Tudo era mais fácil quando tínhamos um único público interno e um único público externo. A mesma comunicação servia para dezenas, centenas de pessoas (pelo menos é o que a gente achava).

A partir dos anos 1990, vieram profissionais antenados com o mercado, como Wilson da Costa Bueno e Margarida Kunsch, e demonstraram que havia diferentes estratos de públicos internos e grande diversidade de públicos externos. Cada público passava a merecer uma atenção especial, com um linguajar próprio, temas de interesse particulares, formatos de conteúdo exclusivos. É a tal da segmentação e personalização da comunicação.

Se você ainda não pensou em segmentar seu público e personalizar o contato com cada grupo, a comunicação empresarial na era digital está falhando na sua empresa. Acionistas não pensam da mesma forma que gerentes, assim como gerentes não pensam o mesmo que analistas. Cada um tem seus problemas e necessidades, portanto, sua comunicação deve considerar isso.

A comunicação empresarial na era do omnichannel

Se por um lado a quantidade de públicos da empresa cresceu, por outro as possibilidades de interação também sofreram transformações. Antes você pensava em meia dúzia de canais de comunicação, um ou dois para os colaboradores, um ou dois para os clientes e mais um ou dois para o governo. Pronto!

Agora as coisas mudaram. Você tem dezenas de pontos de contato para cada stakeholder: e-mail, chats, mensageiros instantâneos, redes sociais, fóruns, blogs, SAC, etc. E todos eles devem convergir para a mesma central de inteligência, o seu Business Intelligence. Lá as informações serão processadas e analisadas para que você conheça cada cliente, cada colaborador, como se ele fosse único. E assim sua comunicação se torna mais assertiva.

Comunicação empresarial baseada em dados

Se o conceito de Data Driven ainda não chegou aos seus ouvidos, prepare-se: logo ele baterá à sua porta. Trata-se de fazer comunicação empresarial precisa, baseada em argumentos sólidos, extraídos de dados coletados das mais diversas fontes de informação.

Foi-se o tempo de comunicar na base do feeling. No mundo de hoje, canais de comunicação baseiam-se no comportamento dos usuários, a linguagem utilizada em suas mensagens é extraída de análises de interações online e os resultados dos investimentos são totalmente comprovados a partir de análises de métricas e indicadores de desempenho (KPIs).

Com a comunicação empresarial na era digital, não há margem para dizer “eu acho”. Mas também não há medo de investir, pois você sabe onde, quando e quanto. É só analisar as informações disponíveis no mercado, no ERP e no CRM da empresa, nas ferramentas de automação de marketing e gerenciamento de projetos, entre outras.

Onde o conteúdo é rei, a comunicação é privilegiada

Foi no fim da década de 1960, com a Revolução da Microeletrônica, que começamos a entrar na Era da Informação. E naquela época, como dizia Castells, a comunicação já ocupava um lugar de destaque, afinal, é ela quem constrói significados nas mentes das pessoas.

Hoje não restam dúvidas a respeito disso. O marketing de conteúdo tomou conta das estratégias de comunicação com stakeholders e mostrou que as pessoas estão, mais do que nunca, preocupadas com a qualidade do conhecimento. Elas sabem identificar quando uma organização tenta enganá-las com argumentos infundados ou quando está realmente gerando valor, compartilhando know-how e investindo em um relacionamento verdadeiro.

Tanto na comunicação interna quanto na comunicação externa, a palavra de ordem é ser relevante e útil, entregar conteúdo de qualidade, que transforme a vida das pessoas. E dessa maneira temos espaço para fazer uma comunicação empresarial ainda mais comprometida e verdadeira, alinhada aos valores da organização.

Das redes sociais físicas para as redes sociais virtuais

O conceito de redes sociais não é nada novo. De fato, tanto homens quanto animais sempre se organizaram em agrupamentos de indivíduos, segundo determinados interesses. Mas, assim como a comunicação empresarial, essa ideia também evoluiu.

Hoje estamos tão familiarizados com Facebook, Twitter, Instagram, Snapchat, LinkedIn, entre outras plataformas de interação virtual, que parece que elas sempre estiveram por aqui, conectando pessoas com pessoas e pessoas com marcas.

Para algumas empresas, o fenômeno das redes sociais de Internet se tornou um problema para a produtividade. Entretanto, para quem conhece o potencial delas para fomentar ideias, compartilhar conhecimento, trocar informações e estimular o engajamento, são grandes aliadas.

Grupos de discussão, fóruns para debater projetos, publicações para disseminar informações rapidamente a um grande contingente de colaboradores, substituição aos tradicionais jornais murais, as ideias são muitas. Estude as necessidades e os hábitos de consumo de informação dos stakeholders da sua empresa e comece a implementá-las. Você vai perceber uma evolução significativa na participação das pessoas nas mudanças organizacionais.

Da comunicação fragmentada à comunicação integrada

Todo profissional de comunicação já passou por longas discussões sobre qual departamento é mais importante para a empresa: marketing, comunicação interna, publicidade, relações públicas, design, etc. Um debate que se tornou ainda mais inconsistente na era da comunicação digital.

Como afirma Margarida Kunsch (2003, p. 150), comunicação integrada é uma “filosofia que direciona à convergência de diversas áreas (…). Pressupõe uma junção da comunicação institucional, da comunicação mercadológica, da comunicação interna e da comunicação administrativa”. Ela não discrimina formatos, estratégias, canais e tecnologias. A comunicação empresarial é uma só e deve atuar como tal para oferecer experiências mais consistentes aos stakeholders e resultados mais representativos para a organização.

Sua empresa está preparada para a comunicação empresarial na era digital? Siga-nos nas redes sociais e mantenha-se atualizado!

Últimos posts

Leave a Comment