Voluntariado: 5 dicas para implantar na sua empresa

 In Temas em comunicação

O trabalho voluntário e a prática da solidariedade com o próximo nunca saem de moda. O que parece estar novamente em voga é o estímulo das empresas para que seus empregados e colaboradores se envolvam em ações sociais na comunidade. Esse movimento conquistou espaço no universo corporativo nos anos 1990 como parte das ações de responsabilidade social que começavam a receber mais importância nas organizações à época. Agora, vem ganhando a cena novamente nesta década. Implantar o voluntariado na empresa – ou incrementar o programa que você já tem – está nos seus planos para 2017? Então, veja algumas lições aprendidas no acompanhamento do voluntariado empresarial. Quem sabe elas podem ser úteis para você?

1. Entenda que voluntariado é um valor que vem de berço.

O primeiro passo é conhecer o seu público interno, buscando identificar, entre empregados e colaboradores, aqueles que já realizam trabalhos voluntários na comunidade. Geralmente essa é uma prática feita com grande convicção e, frequentemente, aprendida desde cedo no ambiente familiar. Procure conhecer o trabalho dessas pessoas, saber o que as move e peça que contem suas experiências. Convide-as para compartilhar essas histórias com os colegas e pergunte se gostariam de ter a colaboração do voluntariado da empresa no trabalho que já fazem. Certamente você descobrirá grandes aliados para o seu programa. Além disso, eles agem como facilitadores para incentivar, pelo exemplo, a adesão dos demais empregados ao voluntariado.

2. Conheça as vocações e as necessidades e ofereça liberdade de escolha.

Junte o levantamento que você já fez sobre o tipo de trabalho que os voluntários que trabalham na empresa desenvolvem e as necessidades da comunidade vizinha. Também pergunte aos colaboradores que querem ser voluntários em que área têm mais interesse. Com o cruzamento de dados, você vai ter um ou vários pontos de conexão para definir as áreas de atuação e os tipos de iniciativas que poderão ser apoiados pela empresa. Dessa forma, é possível contemplar as vocações do seu público interno e do negócio e as ações realmente relevantes na comunidade da qual vocês fazem parte. Assim também, os voluntários  – experientes ou iniciantes – terão oportunidade de dedicar seu tempo livre a iniciativas com as quais realmente se identificam.  

3. Mostre seu apoio, mas seja discreto.

É certo que o programa de voluntariado empresarial estará vinculado à marca da empresa das mais diversas formas. Por outro lado, não é raro encontrar voluntários que são muito discretos em relação ao trabalho que realizam. Muitos deles nunca tiveram em mente divulgar aquilo que fazem por motivos meramente altruístas. Portanto, seja cuidadoso nas divulgações e em como vai colocar a chancela da empresa nas ações do voluntariado para não ser mal interpretado. Lembre-se de que no voluntariado, o centro das atenções são os voluntários e a comunidade.

4. Entenda que aqui a hierarquia pode ser outra.

Uma vez ouvimos um voluntário experiente, e que participava do programa de voluntariado da empresa, dizendo que “não é o chefe que vai te colocar nesse negócio”. E não é mesmo. Em uma ação de voluntariado na comunidade, o líder pode ser alguém que não tem cargo de chefia na empresa. A coordenação, organização e liderança das ações são das pessoas mais experientes com a prática do voluntariado e não, necessariamente, respeita a hierarquia formal da empresa. Então, na hora de reformar a creche mais próxima, o subordinado que entende de obras pode dar as ordens para o chefe. É ele que vai distribuir as tarefas para que todos possam ter a chance de colocar a mão na massa. E por que não?

5. Preste contas e agradeça a colaboração.

Estabelecer metas, fazer um balanço das ações empreendidas, avaliar os resultados alcançados e compartilhá-los é fundamental. Isso é uma boa prática independente da natureza da iniciativa, seja uma campanha de arrecadação de agasalhos, de doação do imposto de renda devido ou um programa de reforço escolar. Assim, ao mesmo tempo em que acompanha a evolução do seu programa, você reconhece e tem a chance de agradecer em público a todos aqueles que se envolveram. Além disso, pode ganhar a confiança de outros colaboradores. Quem sabe, eles não vão se candidatar ao voluntariado na próxima oportunidade. 

Conheça o programa de voluntariado da ONU.

Recommended Posts

Leave a Comment